14.4.13

AUTO -TRAIÇÃO SUPREMA

AUTO -TRAIÇÃO SUPREMA

É a forma mais devastadora de traição
A traição do Próprio EU!
Auto-traição é viver na escravidão
Na condição de submissão
É ter o sorriso enlatado
É dizer sim quando se quer dizer não.
É perder a criança dentro de si
É não se permitir ao redor do mundo viajar
Num pequenino barco de papel...
É perder a singularidade
É nunca seguir a intuição
É pensar que somos poeira e não magia
É renunciar ao que se almeja
Sufocando em si o que mais se deseja
Para os outros não desapontar
Ser infiel a si mesmo,
É sempre ocultar as evidências
É calar quando se quer falar
É anular nossos desejos
Deixando uma pesada porta
Obstruir o coração
É sufocar um amor que sente
Usando uma máscara constante...
Sem a si mesmo sequer dar uma chance
É não escolher o próprio caminho
Ignorando que há um ponto de chegada.
É deixar que alguém nos maltrate
Ou também que nos humilhe
É deixar que qualquer um defina
Arbitrariamente quem deveríamos ser
É deixar alguém nos impor supostos 
limites Pondo em dúvida nosso potencial...
É permitir que nos separem
Dos nossos dons, sonhos e alegrias
É ainda, usar o corpo como um cemitério
Para enterrar nossas dores emocionais
É não estar atento ao sopro 
de nossas vontades
É não se arrojar por ter o peso de 
antigos conceitos.
Autotraição Suprema é esquecer
Que cada um de nós é um centro divino
É enfim, desistir dos PASSOS, 
em direção ÀVIDA!

(Beatriz Kappke)

É a forma mais devastadora de traição
A traição do Próprio EU!
Auto-traição é viver na escravidão
Na condição de submissão
É ter o sorriso enlatado
É dizer sim quando se quer dizer não.
É perder a criança dentro de si
É não se permitir ao redor do mundo viajar
Num pequenino barco de papel...
É perder a singularidade
É nunca seguir a intuição
É pensar que somos poeira e não magia
É renunciar ao que se almeja
Sufocando em si o que mais se deseja
Para os outros não desapontar
Ser infiel a si mesmo,
É sempre ocultar as evidências
É calar quando se quer falar
É anular nossos desejos
Deixando uma pesada porta
Obstruir o coração
É sufocar um amor que sente
Usando uma máscara constante...
Sem a si mesmo sequer dar uma chance
É não escolher o próprio caminho
Ignorando que há um ponto de chegada.
É deixar que alguém nos maltrate
Ou também que nos humilhe
É deixar que qualquer um defina
Arbitrariamente quem deveríamos ser
É deixar alguém nos impor supostos
limites Pondo em dúvida nosso potencial...
É permitir que nos separem
Dos nossos dons, sonhos e alegrias
É ainda, usar o corpo como um cemitério
Para enterrar nossas dores emocionais
É não estar atento ao sopro
de nossas vontades
É não se arrojar por ter o peso de
antigos conceitos.
Autotraição Suprema é esquecer
Que cada um de nós é um centro divino
É enfim, desistir dos PASSOS,
em direção ÀVIDA!
(Beatriz Kappke)

Via Espiritismo Consolador