24.4.13

O conformismo que mata lentamente

O que mata lentamente as pessoas é o conformismo, a preguiça de mudar e transformar a própria realidade, porque é claro, requer esforço, empenho e muita coragem.
E corajoso é aquele que se enfrenta, que enfrenta a escuridão da própria alma para transformá-la em luz.
Quem foge de si mesmo tende a projetar seus maiores medos e dissenções no outro.
O que incomoda no outro é apenas a SUA parte renegada e doente prescindindo de cura. Nunca se esqueça desse detalhe que, embora difícil de "engolir", é a chave para a sua, para a nossa mudança.
A vida não brinca, não dá ponto sem nó. O Universo dialoga conosco a todo o tempo e, por que preferir cruzar os braços diante das mensagens se são elas que impulsionam cada um de nós para o sucesso e realização?!
Por que ter pouco se podemos ter muito? E, eu não me refiro somente à matéria, a matéria de nada vale se não tivermos uma estrutura interior forte capaz de colocar cada coisa em seu devido lugar para que não sejamos controlados por nada, nem ninguém.
Precisamos ter MUITO; muito amor no coração, muita sabedoria, muita conscientização de nós mesmos, muita alegria, muita flexibilidade, muita harmonia, muita fé, muita coragem, muita paciência, MUITA vontade e abertura para aprender.
Por que esperar que a vida o empurre vorazmente para o fundo para fazê-lo enxergar e treinar sua força e potencial se você pode fazer isso contando com a leveza do "enfrentar e ir em frente"?
Por que ir pela dor, se é mais fácil ir pelo amor?
Por que continuar dormindo se você pode despertar?
Se você quer mudança, faça a mudança, respire a mudança, SEJA A MUDANÇA.
Não se conforme.
Não permita que os outros estraguem e apaguem os seus sonhos.
Não acredite no impossível.
O impossível está na sua mente e nos seus olhos, transcenda-os.
Você é herdeiro do arquiteto do UNIVERSO, daquele que faz o impossível se transformar em possível.
Flávia Vascon

O conformismo que mata lentamente

O que mata lentamente as pessoas é o conformismo, a preguiça de mudar e transformar a própria realidade, porque é claro, requer esforço, empenho e muita coragem.
E corajoso é aquele que se enfrenta, que enfrenta a escuridão da própria alma para transformá-la em luz. 
Quem foge de si mesmo tende a projetar seus maiores medos e dissenções no outro. 

O que incomoda no outro é apenas a SUA parte renegada e doente prescindindo de cura. Nunca se esqueça desse detalhe que, embora difícil de "engolir", é a chave para a sua, para a nossa mudança.

A vida não brinca, não dá ponto sem nó. O Universo dialoga conosco a todo o tempo e, por que preferir cruzar os braços diante das mensagens se são elas que impulsionam cada um de nós para o sucesso e realização?!

Por que ter pouco se podemos ter muito? E, eu não me refiro somente à matéria, a matéria de nada vale se não tivermos uma estrutura interior forte capaz de colocar cada coisa em seu devido lugar para que não sejamos controlados por nada, nem ninguém. 

Precisamos ter MUITO; muito amor no coração, muita sabedoria, muita conscientização de nós mesmos, muita alegria, muita flexibilidade, muita harmonia, muita fé, muita coragem, muita paciência, MUITA vontade  e abertura para aprender.

Por que esperar que a vida o empurre vorazmente para o fundo para fazê-lo enxergar e treinar sua força e potencial se você pode fazer isso contando com a leveza do "enfrentar e ir em frente"? 
Por que ir pela dor, se é mais fácil ir pelo amor?
Por que continuar dormindo se você pode despertar? 

Se você quer mudança, faça a mudança, respire a mudança, SEJA A MUDANÇA.
Não se conforme.
Não permita que os outros estraguem e apaguem os seus sonhos.
Não acredite no impossível.
O impossível está na sua mente e nos seus olhos, transcenda-os.
Você é herdeiro do arquiteto do UNIVERSO, daquele que faz o impossível se transformar em possível.  

Flávia Vascon

Via O Bosque de Berkana