31.5.13

RELACIONAMENTO HUMANO


'Compreender a vontade alheia é exercício de amor a si próprio, pois se pode aprender com o outro e ter a certeza de que o outro também deseja o mesmo, ou seja, ser feliz.
Mesmo que do outro venha emoção estranha, não positivas, deverá entender que este expressa à emoção dele e nada poderá fazer para mudar, pois o que vem do outro, é do outro.
Quando ocorre esta maravilha da compreensão e respeito ao alheio, ocorre também a fraternidade e a união.
As forças semelhantes e diferentes das vidas se completam no mesmo objetivo de gerar felicidades e a colaboração é mútua, fazendo a verdadeira fraternidade das vidas.
Maravilhas ocorrem nos relacionamentos quando assim.
As pessoas se completam na criação de seus talentos uns para os outros e a gratidão torna-se veículo mestre em todas as formas de reconhecimento fraternais.
Os mecanismos da vida cooperam para a realização de todas as felicidades e todo o grupo se eleva feliz, trazendo tantas oportunidades de eliminação do mal querer e sofrer, todo o ódio, toda a fúria e a zanga que em verdade, não faz parte do talento do ser humano e é, em realidade, apenas uma das formas que se mostram quem está ferido em sua liberdade.
Toda a alma humana que não tem esta diretriz, mesmo que esteja em comando de alguma situação e o exerça pela força da provocação, na ditadura da imposição, provocando medos e exercendo covardes influencias coletiva, estará fazendo um mal a si e ao mundo.
No entanto, quem compreende esta verdade, ao invés de questionar a estes, deve entender e compreendê-lo como estando confuso e que assim, não há como gerar-lhes maiores felicidades ou trazerem soluções boas para o mal e o sofrimento.
Não deve esperar destes, respostas positivas, pois não têm para dar.
Veja vosso mundo: vários grupos de pessoas, nações e populações querendo impor suas vontades, obrigando outras almas a se limitar na liberdade que são em si, deixando se escravizarem pelas necessidades e interesses?
Vossas leis humanas baseadas na comunhão da liberdade e fraternidade são todas desrespeitas, pois quem as ditam, não efetivam, pois não tem sentimento fraterno.
Sua sociedade hoje se apresenta caoticamente sofredora, onde tudo e todos desrespeitam estas Diretrizes da Felicidade, desrespeitando-se mutuamente, fazendo com que o talento humano seja limitado a usura da sobrevivência.
Esta sobrevivência que conquistaram agindo assim é mórbida e os levam para o caos iminente em que o ser humano se aloja na sua teimosia em não respeitar o semelhante, não os compreendendo na sua capacidade e necessidade básica de serem felizes.
Todas as leis, todos os dogmas, nem regras que inauguram e parecem ser certas no sentido da liberdade e união humanas, não conseguem sucesso se no ser humano não tiverem esta vontade e que hoje se mostra mais como necessidade, mercê o caos que permitem instalar em vossa sociedade.Senão, como obrigar ao ser que é livre a ter um comportamento obrigado?
Não há como amar por obrigação. Nem obedecer pela imposição. Nem ser feliz, pelo desrespeito ao semelhante que quer ser feliz também.
As ocorrências tristes do mundo hoje lhes mostram da real necessidade de mudança nestes procedimentos, vos ativando para a real prática da vida destas diretrizes, que são as diretrizes de todos.
A solução encontra-se definitivamente em cada um que ao praticar, verá que é bom e o tanto de força que expulsa de si, trazendo mais e possibilitando a melhora da felicidade das vidas de todos.
Esta é a capacidade do ser humano de mudar o mundo para melhor: mudando a si e buscando no relacionamento com o outro, compreensão, dedicando-se para que todos sejam felizes, pois é o que todos almejam e trazem também todos os ingredientes necessários para tanto.
Eliminem o mal querer. Queiram não mais sofrer. Compreendam seus semelhantes, não os julguem nem os penitenciem.
Agindo assim, saberão que também não serão julgados nem sentenciados, mas se sintonizarão na mesma vontade que é manifestada em cada ser humano, e representa a VONTADE MAIOR do Senhor das Vidas, Nosso Deus Criador que se manifesta em todas as vidas, permitindo a liberdade de cada um, para que enfim, o Ame.
Para tanto, Deus não precisa de dogmas, nem regras, nem imposições.
Pensar que Deus os faz sofrer para que o ame é bobagem de mente iludida e necessitada de muita compreensão.
Compreender-se a si mesmo, lhes trará em Deus, grande poder de realização feliz e creia, nos relacionamentos com os seres semelhantes, com tudo e todos, em cada um, Deus estará presente.
Não há mais como duvidar. Faça e verá!
Para o mundo ter a PAZ!''
• Pelo Espírito do Mestre Saganara Trulli
Escrita por Douglas O Elias
(maio2013CC)