24.9.13

VAMOS SAIR DO CASULO...E VOAR


Quando a borboleta encontra-se no casulo, ainda como uma lagarta, ela não tem consciência das possibilidades, oportunidades e beleza do mundo aqui fora. Também não tem percepção da sua grandiosidade, beleza e divindade.
Conosco, ocorre da mesma forma, pois viemos do astral conscientes de nosso propósito espiritual, conscientes de nossa missão de alma, querendo fazer o que for preciso para cumprir nosso propósito.
Porém, ao chegar na Terra, que é o planeta escola, onde passamos por aprendizados e desafios diários, esquecemos do que foi anteriormente escolhido. Nos colocamos em um casulo invisível de medos, incertezas, dúvidas, depreciação de nosso Eu, crenças equivocadas, preconceitos e ficamos estagnados, ou seja, na zona de conforto, mesmo que ela não seja a melhor opção para nossa vida. Não persistimos nos objetivos e projetos por medo de nós, da felicidade, da crítica, da mudança.
Ficamos como uma lagarta, no casulo, construímos prisões internas, sem consciência das nossas possibilidades, da grandeza de nossa alma, do nosso poder. Porque o corpo físico, é importante, pois é a morada de nossa alma, mas somos muito mais que isso, por isso precisamos enxergar com os olhos da alma, pois a realidade é muito mais do que vemos com os olhos físicos.
Por permitirmos, somos influenciados pelas pessoas, pelos ambientes e esquecemos que somos seres espirituais e não somente o corpo físico. Não recordamos que somos divinos e podemos ser, ter ou fazer o que quisermos, desde que estejamos no caminho da missão de nossa alma.
Nós não estamos aqui só para passear ou para ir levando a vida, mas para evoluir, para melhorar a cada dia, para sermos mais felizes.
E seremos mais felizes quando soubermos quem somos, ou seja, quando entendermos nossa missão pessoal e coletiva, quando melhorarmos o relacionamento conosco e com os outros, através do autoconhecimento.
Para sairmos do casulo, em primeiro lugar precisamos transformar/elevar nossa consciência e para isso devemos buscar autoconhecimento para percebermos que somos donos de nosso destino, responsáveis pela nossa vida e somente nós a podemos modificar, uma vez que a possibilidade é um estado interno.
E, como salienta o Arcanjo Gabriel, em uma mensagem, o pior abismo dos homens é colocar a sua felicidade nas mãos de outros, porque as mãos das outras pessoas são incertas e nas nossas, conhecemos os limites e possibilidades.
Quando nos espiritualizarmos, modificamos a consciência, veremos a vida com outros olhos e tudo se transforma. E existem várias formas de buscar espiritualidade, autoconhecimento, autocura, através de religião, de meditação, de cursos, de palestras, de livros, terapias, pois nunca tivemos tanto conhecimento a nossa disposição, mas não podemos ter preguiça e comodismo e deixar de buscar.
Deixemos o comodismo e o medo de lado, não vamos perder tempo, deixar de aproveitar esta encarnação que é um presente divino e vamos nos conectar com nosso Eu Superior, optar pela paz, amor e felicidade.
Vamos cumprir nosso propósito, sair do casulo e voar.
Vamos querer ser borboletas e deixar nossa luz interna brilhar.

Via Fonte Eterna