26.7.14

SER FELIZ É PARA OS CORAJOSOS – #1MINUTODECORAGEM

nextel-header1

Conheço gente cujo hobby é reclamar da vida. Mesmo com casa, comida e roupa lavada. Mesmo com café da manhã na cama, cobertor quentinho num colchão confortável e dinheiro suficiente pra pagar as contas e ainda tomar aquela gelada no final de cada dia. Mesmo com tanta coisa mais legal pra fazer – um sexo delícia, andar de bicicleta na orla da praia ou dançar loucamente ao som de James Brown –, tem gente que prefere reclamar. Azar o deles.

Talvez seja realmente utópico ser cem por cento feliz – afinal, o aluguel sempre vai vencer no dia 5, São Pedro sempre vai prover aquelas manhãs frias e chuvosas em que a única vontade é ficar debaixo das cobertas, sempre alguém vai partir sem nos dar a chance daquele último abraço apertado ou daquela palavra sincera. Mas diante de todos os percalços naturais da vida, será mesmo que a atitude mais inteligente é ser maniqueísta e achar que, se não está tudo bem, é porque automaticamente está tudo ruim?

Desconfio que não. Gosto muito de uma frase que diz: “não é uma vida ruim. É apenas um dia ruim”. Porque o sol, sempre que nasce, ou os nossos olhos, sempre que se abrem depois de uma noite de sono, nos dão a possibilidade de fazer diferente. O despertador não tocou, o pneu do carro furou, o ônibus estava mais lotado do que nunca, aquele job não foi aprovado, você brigou com o(a) namorado(a) e a máquina de lavar transbordou e inundou a casa inteira? Realmente, não foi um bom dia. Mas olhe para tudo o que existe ao seu redor e me diga: você realmente acha que a sua vida é tão simplória que se resume a meia dúzia de fatores? Mesmo não conhecendo você, eu arrisco dizer que não.

Tendemos a maldizer até a geração que não nasceu só porque pisamos com o nosso sapato novo de grife num montinho de merda estrategicamente posicionado na calçada. Deixamos que o mau-humor tome conta de nós por causa do ciúme infundado que nutrimos pelo melhor amigo dela. Fechamos a cara e todas as portas e janelas para o mundo simplesmente porque trabalhamos em um emprego que não nos faz feliz. De fato, essas não são as melhores situações do mundo. Mas analisando todas elas rapidamente, só enxergo um fator comum capaz de promover uma verdadeira mudança significativa nesse cenário: nós mesmos.

Pisou na merda? Crie coragem para tampar o nariz, se enfiar no banheiro e passar uma água na sola do sapato, em vez de esperar que a providência divina lhe arranje um novo par de tênis. Tem ciúmes do melhor amigo da sua namorada? Crie coragem para expor os seus motivos e ouvir os dela, em vez de se deixar consumir calado por um sentimento que só destrói o amor. Não está feliz no seu emprego? Crie coragem para disparar uma dúzia de currículos ou largar tudo e ir fazer o que realmente lhe colocaria sorrisos sinceros no rosto – vender água de coco na praia, ser cover performático do Michael Jackson, abrir um negócio próprio.

#1minutodecoragem pode ser tudo o que você precisa para ser mais feliz. E para entender de uma vez por todas que, de fato, não é uma vida ruim. É apenas um dia ruim. Ou nem isso. É somente uma hora ruim num dia bom. Ou um minuto ruim numa hora boa. Ou um segundo ruim num minuto bom. E os segundos? Ah, os segundos eu deixo pra lá. O que me interessa mesmo são os primeiros.

Texto original do site: Casalsemvergonha